A oclusão dentária é a forma como os seus dentes se relacionam entre si. Para se obter uma oclusão ideal é necessário que se estabeleça uma correta relação entre os maxilares, e um posicionamento dentário que permita a manutenção de todas as funções orais – mastigação, fonação, deglutição e estética.

Em condições normais, os dentes superiores devem cobrir ligeiramente os inferiores, ou seja, o arco dentário superior deve ser um pouco maior que o inferior. Qualquer alteração nesse mecanismo é chamada de má oclusão dentária, que pode trazer danos nas estruturas adjacentes, como dentes, gengivas, ossos, músculos, ligamentos e articulações.

Os distúrbios temporomandibulares são um grupo de patologias que afectam, especialmente, os músculos da face e a articulação temporomandibular, que produzem sinais e sintomas como dor facial, cefaleia, ruídos na articulação, dores de cabeça agudas, bloqueio da articulação, etc. Por serem de causa multifactorial, a intervenção deve ser, também, multidisciplinar e pode incluir o uso de aparelhos intra-orais vulgarmente chamados de goteiras de miorelaxamento, fisioterapia, terapia cognitiva/comportamental, entre outras, de acordo com a gravidade de situação.

Bruxismo

O bruxismo é um distúrbio caracterizado por apertar e/ou ranger dos dentes, de forma involuntária, causando forças excessivas sobre a musculatura mastigatória, provocando um desgaste nos dentes, que pode afetar a sua integridade e comprometer a saúde oral.

Estima-se que 20% da população adulta tenha a doença, sendo que o bruxismo noturno, de acordo com o relato de familiares, ocorre em cerca de 8% da população.

Não se conhecem causas concretas do bruxismo, mas o stress e ansiedade são factores de risco e estima-se que sejam a principal causa em 70% dos casos.

Para controlar este problema podemos recorrer à utilização de goteiras de miorelaxamento, fisioterapia e medicação relaxante.